quarta-feira, 16 de maio de 2007

Leonor

Itamar Assumpção


Devagar com esse andor, Leonor
Casamento é muito caro
Eu sou compositor, cantor
Também sou autor
Falo mais de flor do que dor, Leonor
Mas não sou Roberto Carlos
Não tenho carro de boi, Leonor
Nem outro tipo de carro
Meu cachê é um horror, Leonor
Não sobra nem pro cigarro
(não tenho nem gravador!)

Não tenho nem gravador, Leonor
Meu São Benedito é de barro
Meu menu é feijão com arroz,
Que divido com mais dois, Leonor
Quando não falta trabalho
Viver somente de amor, Leonor
É tão lindo quanto precário
Tem que morar de favor, Leonor
Lá no bairro do Calvário
(o que eu tinha de valor...)

O que eu tinha de valor, Leonor
Dois gatos, três agasalhos
Cachecol de lã
Gibis do Tarzan
Gibis de terror, cobertor
Quatro jogos de baralho
Um macacão furta-cor, Leonor
Uma colcha de retalhos
O que não tá no penhor, Leonor
Foi pra casa do Carvalho
(devagar com esse andor!)

4 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Mestre, irmão bissexto, camarada linha de frente, vinho de boa pipa: em junho entro em férias e não desisti de apresentá-lo ao pé sujo mais palmeirense de Campinas. Vem, porra!

    ps - bem lembrado. Leonor. É o nome da minha amiga paulistana, aquela que mora perto do Pé pra Fora. Bem lembrado, ô! Bem lembrado...

    ResponderExcluir
  3. Augusto Diniz17/5/07 17:40

    Carregar esse andor é caro, caríssimo.

    ResponderExcluir
  4. Augusto Diniz17/5/07 17:40

    Carregar esse andor é caro, caríssimo.

    ResponderExcluir